Domínio Modelo de Gestão Territorial - Case Colômbia

A administração da Terra é, atualmente, um dos principais desafios dos países. Não é uma aspiração nova, porque sua função é mais do que explícita nos principais artigos da constituição e nas diferentes leis que regem a relação dos colonos com os recursos públicos e privados da nação. No entanto, há uma tendência internacional para a criação de sistemas nacionais que consolidar uma política nacional que pode aproveitar agora a oferecer tecnologias, as exigências da globalização e, claro, a demanda das pessoas para a eficiência serviços públicos.

Boa fonte Fui informado que a Colômbia está atualmente no processo de aprovação da ISO 19152, conhecido como Modelo da Administração do Território Domínio. O ALMS além de ser uma aplicabilidade global padrão, é o resultado do consenso de muitos especialistas em gestão da propriedade, derivada do estudo de como fazer diferentes países, em consequência dessa declaração 1998 que disse substituição dos esquemas de cadastro tradicionais para o uso de modelos. Esta é a principal razão pela qual o ALMS não pode ser ignorado pelos profissionais envolvidos nas geociências e, no caso da Colômbia, como esperado, não ser visto em si mesmo uma solução, mas a partir da perspectiva de semântica espaciais, como um facilitador para a implementação de uma política nacional para a administração não só o direito à terra, mas em geral, os diferentes recursos da nação.

cadastro multiuso

Menciono o caso da Colômbia, porque teremos que vigiar seu progresso, como um exercício interessante que, sem dúvida, será visível além do contexto latino-americano. Na primeira fase que começou no segundo semestre da 2015, foi demonstrado não apenas o desafio de alinhar diferentes instituições relacionadas com a gestão dos bens materiais e imateriais da nação; A evidente liderança e maturidade que surgem também instituições como o Instituto Agustín Codazzi, a Superintendência do Notariado e do Registo e a influência da cooperação internacional na busca da internacionalização das boas práticas.

Geofumar na LADM parece-me uma decisão correta, diante dos desafios envolvidos na integração do planejamento e padronização das ações de instâncias como o Programa de Formalização de Propriedade Rural, Unidade de Restituição de Terra, o Instituto Colombiano de Desenvolvimento Rural INCODER e Cadastres descentralizada que em alguns casos penso ter melhores condições do que a instância nacional antes da necessidade de se adaptar às mudanças.

tendências internacionais na administração da terra.

Devo insistir que a Administração da Terra não é uma ciência desconhecida para a maioria dos profissionais do setor de Cadastro-Registro-Ordenamento Territorial; novela vai entender os modelos fato de UML em que o padrão ALMS e como chegar a materializar um quadro institucional que já existe e plataformas tecnológicas é apresentada operação. Então, para complementar este artigo, eu salvei o valor das tendências irreversíveis na administração da terra foram apresentados em um workshop da fase atual e eu mal posso comentar beirando à beira do óbvio mas isso representa os principais desafios do processo colombiano.

Ladmy

La descentralização dos processos de atualização de informações, desde os níveis centrais até os governos locais, desde um ponto de vista de responsabilidade não só em termos de cadastro fiscal, mas também legal.

  • A incorporação de sistemas transacionais pelo qual o funcionamento das relações de posse entre as partes interessadas é controlado, incluindo o governo nos objetos que representam direitos de interesse público. Um aspecto interessante dessa tendência é que a centralização não implica mais burocratização, uma vez que é complementada pela primeira tendência, na qual os operadores de transações são governos locais, entidades privadas e pessoas físicas; mas operando em Sistemas transacionais de controle nacional.
  • A utilização de Bancos de dados com histórico de dados administrativos e geométricos, modelados tanto no armazenamento de fontes documentais como em versões espaciais. Isto implica não apenas fazer pesquisa territorial ou planos de planejamento, mas também modelar seu extrato para ter uma aplicabilidade na propriedade real e com referência à sua versão atual.
  • A utilização de modelos de dados padronizados independentemente das plataformas tecnológicas, a adoção de padrões conceituar modelo lógico que vem tanto o modelo físico e processos; independentemente de software proprietário ou livre é usado.
  • Model Driven Architecture, conhecido em Inglês como MDA (Modelo Driven Architecture). Nenhum aspecto simples, por causa da urgência da interface humana para alimentar os dados e o risco de morrer a tempo sem vitórias precoces que justifiquem os custos da mudança de mentalidade.
  • Integração dos direitos da terra, uso da terra e planejamento territorial, a relação simplificada Objeto-sujeito-LeiMas expandido para um esquema que permite ver a relação dos direitos para além do que a lei define de forma explícita e pode ser aplicável a bens corpóreos e incorpóreos.
  • Visão do Cadastro sob uma perspectiva ótica ciclo de vidaCom a obrigação de pensar sobre o 3D, que embora não seja um display de emergência na incapacidade de finalizar a cobertura 2D deve ser construído mesmo ao nível administrativo pela urgência urbana de propriedade horizontal e a necessidade de estar pronto para o 4D, não apenas de um BIM óptica mas porque a relação janeiro tempo sozinho ocupa automação.
  • a orientação simplicidade e facilidade de uso, o que implica despenalizar a proposta do Banco Mundial de finalizar o cadastro do mundo a curto prazo, utilizando o ponto de forma urgente, mas integrado ao registro da propriedade, relegando a precisão para quando temos tempo -e prata-. Até então, podemos perceber que o resto do mundo fez o estilo OpenClemMap.
  • La integração multidisciplinar das pessoas ligadas à administração da terra, cada um fazendo sua própria coisa, em seu sistema, mas replicando em um modelo de troca de dados sob padrões de interoperabilidade. Evidentemente, isso implica não ver a tecnologia como um fim em si, mas como uma maneira de atingir um objetivo identificado; Envolve gradualmente a adição de atores, evitando a desconsideração de especialistas em experiência devido à sua incompatibilidade com a tecnologia, mas também aprimorando o jovem recurso a estar pronto para assumir o caminho que certamente levará vários anos.
  • O desafio da Colômbia com ALMS

Sugiro como um exercício mental de aplicação geral, dar o acompanhamento que vai Colômbia, que para ser honesto não tem mais fácil, mas com a política e persistência pelos altos objetivos da nação segura vai saber aproveitar as oportunidades agora se apresentam -que já teria outros países- entre iminente:

  • Ladmhincorporação de direito público como um registro apertando mais riqueza e cartográfica torna-se direitos, restrições e responsabilidades de ambas as entidades públicas e as entidades privadas.
  • O desenvolvimento de projectos-piloto cadastro multiusoSob uma visão simplificada de um registro cadastral, delegando a responsabilidade pela atualização de dados.
  • A formação de um nó Land Management dentro do Ordenamento do ICDE Infraestrutura de Dados da Colômbia, como um modelo que vai além da prestação de geoportais de dados padronizados.
  • Atualizando metodologias que simplificam o desempenho dos governos locais e dependência de políticas centrais, especialmente em relação à avaliação do imóvel, mas também abertura aos métodos de pesquisa, simplificando alegal»De complexidade e precisão devido à preeminência de manter dados atualizados.
  • a tenacidade batalha com o polígonoAntes do cenário inevitável do país a utilizar ESRI quase como uma versão geomática de Deus e a teimosia de ISO-19152 fumado manter o arco-node como a única forma primitiva para explicar o universo.
  • integração Registo Predial em um sistema de transação única, no qual é possível ver não apenas quem é uma pessoa natural / jurídica / pública, mas também os direitos consolidados em matéria de propriedade real, sua geometria e encargos legais e administrativos. Este desafio, além da transformação institucional -que não é urgente- implica uma mudança de mentalidade na visão geral dos registros, como uma responsabilidade do Estado, além da intervenção urgente de projetos com boas intenções, mas com a aspiração a convergir para as políticas públicas de interesse nacional.
  • visibilidade internacional ALMS I platanizado às especificidades do que durante muitos anos fizeram colombianos.
  • Ladmcol6

A lista de desejos é infinita e no bom sentido do real, até mesmo utópica. Mas esse mesmo sentimento aconteceu com qualquer um que fez 14 anos atrás, quando seu mentor lhe deu dois documentos que mudaram sua maneira de ver o mundo; especialmente se estes documentos foram o esboço da Proposta Cadastral 2014 da FIG e o resumo de Chrit Lemmen «Modelo núcleo Cadastral Domínio".

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentário são processados.