Retro 286

As coisas incríveis estão acontecendo no mundo -ele disse a Ursula-. Bem lá do outro lado do rio, existem todos os tipos de dispositivos mágicos, enquanto ainda vivemos como os burros. (Cem anos de Solidão)

Foram anos quando ele estava no ensino médio que um engenheiro nicaraguense trouxe um 286 para o projeto, com um monitor monocromático 15. Eu me lembro de ficar espantada ao ver como o kardex poderia ser carregado em uma tela de letras verdes que eram saudadas com um nome Foxbase, com obturadores que mudavam o tom em resposta ao teclado -não havia mouse-. Então eu pude ver que meus erros manuais poderiam ser encontrados facilmente, porque o inventário foi lançado em quase um clique, e só tinha que comparar as saídas em cada dia para encontrar qual requisição deu errado ... tudo com um maravilhoso comando chamado "de inventário".

-Não é para você- Villavicencio me disse, esse era o sobrenome dele. É para o Jorge. Quem era o chefe do armazém e formulários; uma espécie de homem letrado que, pelos rabiscos que escreveu, parecia ter aprendido com os egípcios, bom em suas intenções e a quem ele era carinhosamente chamado de Barba Juca.

Esse dispositivo me causou tanta curiosidade, que acabei em momentos de solidão entrando nas diferentes rotinas que haviam sido construídas em um menu de cartas de um painel que se abria sem sequer mostrar o console do DOS. Eu não estava muito ciente do que alguns programas eram para, muitos deles utilitários, é por isso que eu estava proibido de jogar o dispositivo seguro para minhas brincadeiras, fazendo alterações no modo de navegação para ver se a atualização dos formulários era dinâmica.

Isso tem sido há muitos anos, embora minha mania tenha mudado pouco ao saber quão inovador pode ser em um brinquedo tecnológico que meus dedos não tocaram. Deve estar no sangue. Quando olho para esta foto, mostra o primeiro computador (Um Pentium MMX) que eu tinha à minha disposição com o fruto da minha insônia traz-me uma mistura de nostalgia e satisfação de como eu gostei daqueles dias ... daí a facilidade deste post não estilizado, inconclusivo.

A garota que ilumina meus olhos diz que naquela foto há mágica. Até então meu filho era a alma da família, um pelt 54 centímetros de altura, que iam e vinham emaranhados no cabo do modem que eu cruzava para conectar à internet com o telefone na sala. Neste quadro simples que eles estavam concentrados paixões da minha vida, meu filho, a caneta que minha esposa me deu, a mesa usada para comprar e o instrumento com o qual a amortizar a hipoteca da minha casa durante uma época em que o salário era insuficiente.

Isso é mudança de vida. Assim são as tecnologias obsoletas. Quem pensaria que eu acabaria dedicando boa parte do meu tempo livre a escrever sobre o que acontece nesse ambiente? E com o que isso evoluiu, eu ainda me sinto como hobbies para gastar nos próximos dois anos ... para o estilo Mac, para os princípios do Ubuntu, para a convicção do software OSGeo ... vamos ver.

Se ... várias coisas mudaram: a partir SAICIC me mudei para Neodata, AutoCAD Microstation, Homestead WordPress, a partir do desktop para o iPad, o disco rígido para Dropbox, os kbps 64 para 3G, meu filho já não era exclusivo para obter a bebida ... várias coisas mudaram, exceto a menina que ainda brilhando meus olhos anos 14 depois, renovando a minha mesa para fazer harmonia com seus detalhes e meu filho que mantém inventando como mudar texturas e efeitos emulados jogos.

Bons tempos. Bem-aventurados somos nós que pudemos ver tantas mudanças, nos adaptar e aproveitar essas criaturas que mudaram os estereótipos que tínhamos do casamento.

2 responde a "Retro 286"

  1. Que bom que eu encontrei quem deu forma aos cabos e ao coração porque ela ainda é a menina que ilumina seus olhos .... do mesmo jeito me causa borboletas no estômago, o menino que me olha com amor.

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentário são processados.