Adicionar
Engenhariainovaçõesqgis

Entrevista com Carlos Quintanilla - QGIS

Falamos com Carlos Quintanilla, atual presidente da Associação QGIS, que nos deu sua versão sobre o aumento da demanda por profissões relacionadas às geociências, bem como o que se espera delas no futuro. Não é segredo que muitos líderes tecnológicos em diversos campos -construção, engenharia e outros-, “Os TIG são ferramentas transversais que são utilizadas por cada vez mais setores que as veem como uma ferramenta eficaz para a tomada de decisões nos aspectos que afetam o território, No futuro, veremos cada vez mais empresas usando o TIG como ferramenta de trabalho, gradualmente se tornando um programa de automação de escritório cada vez mais comum em computadores de trabalho ”.

Da inclusão da TIG em várias áreas, fala-se da integração de disciplinas para se conseguir a consolidação de um projeto, por isso Quintanilla disse que atualmente é cada vez mais necessária a participação de especialistas em muitas disciplinas que utilizam TIG, arquitetos, engenheiros , ambiental, médicos, criminalistas, jornalistas, etc.

Além do exposto, o GIS gratuito teve que se adaptar para responder às necessidades que surgissem, e acompanhar os avanços tecnológicos, os GIS gratuitos são uma garantia de interoperabilidade entre aplicativos e bibliotecas, link direto com Em um CRM, o uso da biblioteca de inteligência artificial já é possível, e isso se deve em parte ao fato de que os programas de software livre são combinados.

Sabemos que a 4ª era digital traz consigo o objetivo de moldar cidades inteligentes em um futuro próximo. Mas, como o GIS permite a gestão eficaz de cidades inteligentes? Cidades inteligentes serão quando a interoperabilidade máxima for alcançada entre todos os aplicativos, a implementação de um GIS gratuito permite que as cidades sejam inteligentes. As cidades inteligentes existirão quando os dados forem de qualidade e as ferramentas forem adaptadas às necessidades dos cidadãos.

Quintanilla, indicou que a integração BIM + GIS não é a ideal, mas poderia ser se houvesse comunicação entre os dois mundos, é necessário ter uma equipe de desenvolvimento de tecnologia BIM que conheça o funcionamento do GIS para poder fazê-los coexistir. A integração dos dois aplicativos trará benefícios no sentido de economia ao introduzir geometria e atributos que vêm do GIS e podem ser usados ​​em um BIM.

Da mesma forma, vendo o interesse mundial no estabelecimento de cidades inteligentes, perguntamos se a QGIS Association desenvolveu alguma ferramenta para esse fim. Quintanilla enfatizou que não conhece nenhuma ferramenta que possa ser usada para criar cidades inteligentes, mas o QGIS e seus mais de 700 add-ons são, por si só, uma ferramenta eficaz para ter cidades inteligentes. A grande vantagem do QGIS sobre seus concorrentes são os mais de 700 add-ons que podem ser instalados, além do grande número de ferramentas que o QGIS já contém como padrão. É muito fácil criar novos plug-ins que servem para melhor servir os técnicos e usuários do QGIS.

Sobre a aceitação e adoção dos produtos da QGIS Association, o presidente deixou claro para nós que QGIS é um software livre e por trás dessa comunidade existem muitas empresas, já que novas ferramentas que afetam o núcleo do QGIS são decididas em um comitê técnico, em qual QGIS Espanha tem representação. Considerando que, em plug-ins, os criadores têm total liberdade para criar o que você precisa. Da nossa associação e de todas as outras temos o objetivo de divulgar o programa QGIS em conferências, apresentações e fóruns onde se reúnem profissionais do setor de GIS. Mostrar os sucessos alcançados é a melhor forma de educar novos usuários para o uso do QGIS .

Em relação aos padrões de interoperabilidade, Quintanilla afirmou que a maioria dos padrões vem do OGC (Open Geospatial Consortium), o QGIS tem a vocação de se adaptar aos padrões padrão, de forma que seja muito fácil segui-los e melhorar a interoperabilidade entre aplicativos e servidores. Alguns programas comerciais, por padrão, usam formatos privados e depois se adaptam aos padrões, o QGIS se adapta aos padrões desde a raiz, vem de forma inata. Talvez os serviços de mapas (WMS, WFS, WFS-T,) sejam os mais usados, mas existem outros que também são importantes, metadados, formatos de dados (gml, GPKG, etc.).

De acordo com o uso de dispositivos móveis que fornecem informações muito específicas sobre o usuário, que podem prejudicar ou beneficiar o cidadão e seu meio ambiente, o presidente da Associação QGIS afirma que é uma faca de dois gumes quando os dados são usados ​​de forma fraudulenta e sem respeitar a privacidade das pessoas. No entanto, são dados muito interessantes e, sempre dentro do quadro legal, devem ser utilizados para fins científicos e benéficos para os cidadãos. Dados abertos, OpenData, são dados que nos permitem fazer muitos estudos muito interessantes. O OpenStreetMap seria um bom exemplo.

Além disso, pedimos a sua opinião sobre a importância da programação para um analista de SIG nesta 4ª era digital. Depende da definição de analista de GIS, se definirmos analista de GIS como o profissional que deve dar respostas a problemas complexos de GIS, então sim seria indispensável. Porém, se o analista o define como um profissional que analisa projetos e toma decisões com uma equipe de trabalho, então não é essencial que o analista saiba programar, mas sim alguém da equipe.

Apesar de ser um bom analista, sem ser um programador experiente, seria bom conhecer as possibilidades, o esforço envolvido em avaliar o trabalho necessário para preparar tarefas e assim tomar decisões de planejamento para o bom desenvolvimento dos projetos.

 

Não é essencial, mas é altamente recomendado, não é necessário programar, existem muitas ferramentas que podem ser executadas sem conhecimento de programação, mas em projetos relativamente complexos é sempre muito útil programar alguma tarefa. Mas é cada vez mais necessário e mais potente ter técnicos que saibam programar e montar equipes multidisciplinares.

Segundo Quintanilla, o consumo e a aprendizagem das geotecnologias têm sido muito positivos, muitos cursos de SIG online foram ministrados, muitos aproveitaram para se inscrever nos cursos aproveitando o facto de haver mais tempo disponível. Em relação às alianças, para este ano não há nenhuma da QGIS Espanha, continuam com as mesmas do ano anterior, porém o QGIS internacional continua a ser um projeto da OSGeo https://www.osgeo.org/projects/qgis/

Novos projetos da associação serão o lançamento de um novo site da Associação de usuários de QGIS Espanha (www.qgis.es) mais moderno e eficiente, para que os associados possam se informar sobre as atividades que fazemos da associação e um ponto de encontro para associados e também para não associados simpatizantes do projeto QGIS.

Estamos muito entusiasmados que projetos que nasceram na Espanha e colaboram com a associação participem de doações para a QGIS internacional, como GISWater, uma ferramenta de gestão inteligente de recursos hídricos, água potável, saneamento e água da chuva.

A Câmara Municipal de Barcelona continuará a ser membro da associação, sendo a única administração pública que deu este passo. Também gostaria de mencionar a contribuição de Víctor Olaya, desenvolvedor QGIS e autor do Livro de GIS, Víctor doa sua margem econômica dos livros impressos vendidos à Associação de usuários do QGIS Espanha

As perspectivas para o futuro do TIG grátis estão aumentando e é cada vez mais difícil justificar o uso de ferramentas comerciais, isso vai fazer crescer o setor de TIG grátis, temos que nos preparar e trabalhar em colaboração para não duplicar esforços, é Por isso, associações como a nossa são importantes para um crescimento mais ordenado e justo do setor.

Tirado de Revista Twingeo 5ª Edição. 

Golgi Álvarez

Escritor, pesquisador, especialista em Modelos de Gestão Territorial. Participou da conceituação e implementação de modelos como: Sistema Nacional de Administração de Propriedades SINAP em Honduras, Modelo de Gestão de Municípios Conjuntos em Honduras, Modelo Integrado de Gestão de Cadastro - Cadastro na Nicarágua, Sistema de Administração do Território SAT na Colômbia . Editor do blog de conhecimento Geofumadas desde 2007 e criador da Academia AulaGEO que inclui mais de 100 cursos sobre temas GIS - CAD - BIM - Digital Twins.

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentário são processados.

Voltar ao topo botão