Voltemos ao talento

Voltemos ao talento, matemos o gênio e revivemos o homem que esfregou a lâmpada, porque é melhor acreditar naquele que teve a iniciativa simples do que o resultado de três desejos que não nos custaram nada.

Este foi o tema de uma das conferências que participei nos últimos dias. A abordagem foi orientada para a questão tecnológica, mas sua essência e o gosto que ela me deixou e o tempo que tive para refletir sobre meus dias de descanso é inestimável. Um encontro com um muçulmano em uma mesquita em Londres e a experiência com a história do Parachicos de Chiapa de Corzo me deu tempo para pensar muito sobre o assunto.

Já foi suficientemente filosófico sobre o tema da gentileza e do talento, pois isso é conveniente se você não leu pausar mastigando o gosto do livro O Homem Medíocre. Isso, para identificar a diferença de quem faz inovações porque está em sua natureza e que, depois de ver o que existe, reinventa novas formas de torná-las mais sustentáveis.

fileira de don

Na semana passada, demos passos importantes sobre a viabilidade de um modelo de sustentabilidade para o cadastro municipal e conjunto. Vá o que é necessário, em uma área onde as coisas jáem sua maioriasão dados, mas em que milhões são investidos a cada quatro, seis ou dez anos em um círculo vicioso de pensar que o cadastro deve ser feito sempre de novo. O exercício dos últimos quatro anos me levou a um interessante processo de reciclar o existente e experimentar novos talentos de meninos (e meninas) que aspiram a fazer carreira nessa área. O que eu pretendia este ano eu escrevi exatamente onze meses, e a natureza do humano fez com que algumas pessoas permanecessem a caminho, repensassem as expectativas, dassem uma última chance e incluíssem outras que consideramos fora de contexto.

cadastro de talentos Mas todos os dias estou convencido de que nossa constante patinação sobre o tema do cadastro consiste nas posições sectárias de sempre querer fazer o mesmo ou o extremo de tentar fazer coisas totalmente diferentes. O talento está no ser humano, incluindo a sustentabilidade, nós não ocupamos trazendo extraterrestres para coisas que já são conhecidas por trabalhar e deixamos de pensar em seu amanhã. No final, espero que a combinação de instrutores de chapas antigas, com sua fussiness e alguma teimosia, tenha um impacto sobre os jovens que precisam aprender com seus dons como disciplina, tato e experiência. Também a satisfação de ver a energia dos jovens que ensinam os idosos -casos- as artes do mapeamento digital, da Internet e a convicção de que os hábitos dos consultores podem ser adquiridos em pouco tempo.

_____________________________________________________

cadastro de talentos Em um mundo tecnológico, onde a inteligência é evidente a cada segundo, penso -e todos- temos a certeza de que é necessário parar para verificar se o gênio realmente está matando o talento. Eu amo o que eu vi meus amigos fumaram em um iPad que eu questionei há quatro meses, minhas mãos picando para colocar código para isso. Eu desespero Eu não posso ser mais para o meio Open Source, cujo impacto será visto nos próximos anos 15 e vai mudar a forma como vemos o negócio de TI. Mas eu também temem que, consciente de ter um tempo fecundo de gênio na industrial, informática, mídia geoespaciais, comunicações, vemos impotente para afetar a perguntas tais como:

- Se sabemos que o combustível fóssil está matando nosso planeta, por que os poemas dos poderes não se concentram para reverter seu uso? Por que os Estados Unidos não se atrevem a participar ativamente da iniciativa de Quioto?

- Se sabemos que o planeta tem os dias contados, por que os grandes exemplos de consenso mundial que criamos são incapazes de agir? Por que uma pessoa capaz de provocar uma guerra e depois nos culpa por não ter conseguido terminá-la?

- Porque os interesses econômicos afugentaram o genio das idéias que daria mais anos a 200 a este mundo?

"Por que alguém não pode fazer nada com um idiota que faz o que ele quer nesse país esquecido de Deus?" Como podemos levá-lo lá acreditando o idílio que acabaria com a corrupção?

Talent, cujo significado raiz nasce dessa moeda no contexto judaico e foi imortalizado na parábola de Mateus 25 não requer necessariamente a reinvenção do mundo em formato Ubuntu. Em vez disso, na reengenharia das coisas existentes; Definitivamente, o que estamos procurando é uma maneira melhor de aproveitar o que já temos e verificar se muitas coisas que aceitamos como úteis estão tendo um impacto.

Como um breve exemplo; Eu vivo em um país -isso parece muitos- onde a cada cinco quarteirões há uma igreja evangélica, onde o 25% de sua população professa uma fé protestante que acrescentou que a Igreja Católica e outras religiões cristãs de fé excedem a 90%. O que significa que quase o 100% confessa acreditar em princípios corretos e onde acredita-se que um ateu não pode contribuir para nossos valores morais.

Mas neste mesmo país, seu impacto na sociedade é nulo, para não dizer negativo. Isso porque, enquanto as estatísticas das confissões religiosas afirmam ter experimentado um alto crescimento nas últimas décadas, o país continua a cair para os últimos níveis de pobreza, corrupção, tráfico de drogas, insegurança e outros nomes do subdesenvolvimento. Estou ciente de que não é o mesmo confessar uma religião do que viver baseado nesses princípios. Mas todos nós entendemos que é necessário para retornar ao talento humano, verificar se ele realmente faz sentido continuar a fazer o bolo da mesma forma como sectária e pensamentos. Se os dois milhões de pessoas que estão batendo palmas em uma igreja em uma manhã de domingo se unirem a seus esforços para revisar abertamente o impacto que estão tendo, certamente tirariam conclusões firmes; não mudar seus princípios, mas renovar estratégias.

É tão prejudicial culpar o diabo e não agir, como para ignorar que algo maior do que existimos lá fora -e aqui-. Certamente há uma necessidade de cavar (aqui) e verificar se estamos fazendo o talento para o seu pleno potencial (lá fora). Deve haver uma maneira de se livrar desse político de má qualidade que decide por todos nós como roubar nosso dinheiro.

_____________________________________________________

cadastro de talentos É necessário retornar à pessoa humana como tal, esquecer tantos termos que damos ao que fazemos e basear nossa sustentabilidade em seres humanos imperfeitos. Vamos voltar ao talento, matar o gênio e reviver o homem que esfregou a lâmpada, porque é melhor acreditar em quem teve a iniciativa simples do que no resultado de três desejos que não nos custam nada.

Quando isso acontece, aproveito esta anonimato de agradecer 3 sem cuja vontade e capacidade técnica não foi possível reviver sagacidade meninos e meninas 9 5 por toda a vida será grato. Com esta pequena semente, nos anos 10, quatro deles (ou eles) será dedicado a cuidar de seus bebês, o resto será colhendo conquistas que nem sequer aspiramos. Cada um para o 7 PM de uma sexta-feira de café com rosquinhas ele vai rir das punições de Don F! com seu fechamento cadastro até meia-noite, W! quando eu não pare boladas ameaças de presente M! e quem sabe, talvez desse poema de Don G!

2 responde a "Vamos voltar ao talento"

  1. Eu poderia falar mais e tornar esta publicação mais longa e tônica, mas vou deixar mais idéias para postagens subsequentes, uma vez que a quantidade de dinheiro que damos ao Per é maior do que a que recebemos por exemplo, o que exige uma explicação econômica de que ninguém nunca perguntou seriamente então, a forma arbitrária e duvidosa com a qual o Per está medindo sua pobreza. Ele é medido o mesmo em todas as regiões desde que peço que a região de Arequipa faça suas próprias medidas, tendo em vista as irregularidades e a composição de figuras que parece ser fornecido pelo INEI administrado pelo governo central E sabemos que o que não é bem medido não pode ser superado e precisamos de figuras limpas para saber qual política funciona e quais não.

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentário são processados.