Por que agradecer neogeógrafos como Google

Este é o nome da entrevista que Eric Van Rees fez com os homens importantes de três empresas destacadas nas tecnologias de geoinformatividade:

  • Jack Dangermond, presidente da ESRI
  • Richard Zambuni, diretor de linha geoespacial Bentley
  • Ton de Vries, Executive Bentley na linha do Catastro e desenvolvimento da terra
  • Halsey Wise, presidente e CEO da Intergraph

geo-infrômatos

O documento é interessante e ocorre em um momento em que a evolução das tecnologias de desktop (Desk GIS) evoluiu bastante para a Web (GIS Web) e sua integração com o CAD progrediu muito. Além do crescimento e consolidação dos padrões de troca e integração web.

geo-infrômatos A entrevista é baseada em uma série de perguntas, em que cada um dos participantes levanta a visão de sua empresa contra a tendência do mercado. Estas são as perguntas, traduzidas não literalmente:

  1. Qual será o papel dos especialistas em SIG no futuro? Terão mais experiência em informática ou continuarão a se considerar especialistas em SIG? Ou talvez precisemos de especialistas que tenham múltiplo domínio de tecnologia, economia, ciências sociais e jurídicos aplicados à geoinformação?
  2. Você acha que as ferramentas GIS baseadas em desktop continuarão ou serão substituídas por ferramentas baseadas no servidor?
  3. Sua empresa é responsável pela crise global? Isso inclui oportunidades para aplicar SIG? E como?
  4. Na Europa, a indústria de GIS é baseada em INSPIRE, GMEIS, SIX e GALILEO neste momento. EU não interessado neste, eu tenho a impressão de que a indústria aqui é baseada mais no que Google, Microsoft e Yahoo fazer e como integrá-los. O que você acha disso?
  5. A integração do CAD com o GIS é uma capacidade que se torna mais importante a cada dia. Qual é a solução atual que sua empresa tem agora para alcançar essa integração GIS-CAD? Como você vê o futuro: continuaremos a ver essas duas especialidades ou você acha que chegará o momento em que ambos terão integração total?

Se você quiser vê-lo, você tem que consulte a edição de junho da revista Geoinformatics, que traz artigos de interesse como:

  • Dados de sonar para o fundo do mar
  • Mapa do uso da terra na Austrália
  • geo-infrômatosMapeando o mundo com software GIS gratuito. Esta é a continuidade da linha que eles trouxeram de três versões anteriores sobre as ferramentas GIS de código aberto. O artigo é interessante, baseado no livro de Gary E. Sherman, com esse nome, veja o gráfico e a posição que eles dão ao gvSIG no nível de especialidade do usuário.
  • AutoDesk, economizando cidades da superpopulação
  • Cicade & DIMAC Systems.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentário são processados.