Adicionar
CartografiaCatastroEnsinar CAD / GISGeospatial - GIS

Mestre em Geometrias Jurídicas.

O que esperar do Master in Legal Geometries.

Ao longo da história determinou-se que o cadastro imobiliário é a ferramenta mais eficaz para a gestão do solo, graças a isso, milhares de dados espaciais e físicos associados a um terreno são obtidos. Por outro lado, vimos que o Mestre em geometrias jurídicas, um interessante projecto da Universidade Politécnica de Valência, e promovido pela Escola Técnica Superior de Engenharia Geodésica, Cartográfica e Topográfica. A introdução deste termo “Geometrias Legais” é curiosa, por isso localizamos um dos representantes deste Mestre para esclarecer as dúvidas que surgem com a sua definição.

La Dra. Natalia Guillen Garrido, diretora do Mestrado e membro do Departamento de Engenharia Cartográfica, Geodésia e Fotogrametria da Universitat Politècnica de València, revela as bases do Mestrado, os aliados que participaram neste projeto, bem como as razões pelas quais foi criado.

Geometria Legal

Começamos com uma definição básica, se buscarmos o termo "Geometria Legal" na web é definido como a integração da matemática no direito, mais especificamente o uso de figuras geométricas para fazer delimitações. Dr. Garrido nos diz que essa definição está correta.

A Geometria Jurídica é precisamente isso, a busca pela integração do Direito nos processos técnicos de delimitação da propriedade, visto que esta, a propriedade, nada mais é que um ato jurídico. A questão que fica no ar é saber se essa definição está imersa em termos do escopo de ação do cadastro. Natalia comenta que em certo sentido sim -é quase igual ao cadastro-, mas especificamente na Espanha, já que lá não existe cadastro geométrico, pois o mapeamento não foi formado fixando vértices da demarcação.

Além disso, busca se adaptar, com um atraso de cinco anos, a essa necessidade de coordenar os dois mundos. E busca-o fingindo que são os técnicos que conduzem essa coordenação, pois é um encaixe que tem seu ponto comum na geometria da parcela. Portanto, sim, ela se enquadra no âmbito jurídico, mas com a intenção de, por meio dessa coordenação, espirrar a esfera fiscal-tributária, tornando esta última dependente daquela. Além disso, acrescenta que se aplica tanto a bens públicos como privados. Ao girar em torno da propriedade, ela pode ser exercida tanto privada quanto publicamente e, em ambos os casos, em uma ampla gama de possibilidades.

Esta Mestre É uma proposta acadêmica da Univesitat Politècnica de València que, embora os Registradores tenham demonstrado seu apoio, em termos globais ela tem uma vocação técnica e, portanto, a Associação Espanhola de Geometristas Peritos tem sido usada como consultores especializados. No entanto, e no intuito de procurar a necessária sintonia com os operadores jurídicos, procurou-se adequar a agenda a diferentes perfis. É por isso que o mestrado se divide em dois cursos universitários diferenciados que, embora sejam interessantes no seu conjunto, um aborda a parte mais técnica e o outro a puramente legal, com o objetivo de poder complementar as informações básicas de ambos os juristas, em o primeiro caso, a partir dos técnicos, no segundo.

Conforme indicado pela Dra. Garrido, o interessado poderá escolher entre seus vários graus: Diploma de Especialização em Geometrias Jurídicas, Especialista Universitário em Georreferenciamento e Mestrado em Geometrias Jurídicas. Por exemplo, quem pretenda obter o título de Especialista Universitário em Georreferenciamento, referente à componente espacial do Mestrado, só deverá obter aprovação no módulo II, especificamente nas disciplinas de Topografia, Geodésia, Cartografia e Sistemas de Informação Geográfica aplicados ao imobiliário.

No caso do Diploma de Especialização em Geometrias Jurídicas, o Módulo I e o Módulo III devem ser aprovados. Para cumprir os objetivos do estudo, o candidato terá aulas magistrais via web - transmitidas por videoconferência em tempo real-; e depois gravado para acesso no modo atrasado.

Agora vejamos, o objetivo do Mestrado é que o graduado tenha as ferramentas necessárias para realizar uma delimitação geométrica do imóvel para fins cadastrais ou cadastrais, eles estabeleceram claramente a componente espacial, portanto, para isso, a cartografia e a geomática têm um papel fundamental. O Dr. Garrido enfatiza que não é possível definir uma geometria de propriedade, com as implicações que ela pode ter em termos de conflito e paz social sem dispor dos meios, técnicas e conhecimentos mais adequados a este respeito, os da Topografia, Cartografia, Geodésia e Sistemas de Informação Geográfica.

Da mesma forma, destaca que, embora estejamos em um momento em que apostamos no cadastro 3D, o mestrado não está orientado para uma intervenção cadastral, embora tenha aspectos que o afetem. Em todo o caso, e embora organizações internacionais, como a FIG, apostem no modelo de Cadastro 3D há quase uma década, em Espanha está apenas a começar a ser implementado neste momento, pelo que seria impossível abordar esta questão específica. O que este mestre aborda são os aspectos de direitos reais e limitações administrativas que recaem sobre objetos geoespaciais e, portanto, dão sentido ao cadastro 3d além da mera representatividade tridimensional.

Até o momento sabemos que o Master é dirigido a profissionais que desejam receber uma formação integral -legal e tecnológica- para a delimitação precisa de bens imóveisPortanto, ele define este termo como a intervenção de um técnico que dá certeza, confiabilidade e reconhece a responsabilidade pelo trabalho de definição geométrica; algo que, embora pareça incrível, não é um requisito essencial na Espanha.

Por outro lado, existem grandes lacunas na delimitação dos imóveis, pelo que a lacuna fundamental a ser preenchida é a falta de um perfil técnico com amplo conhecimento do direito. Algo indubitavelmente necessário se levarmos em conta que a propriedade é matéria que emana do Direito e é constantemente afetada por ela - limitações legais, servidões administrativas, aspectos urbanísticos, legalidade tributária, etc. -.

Vamos falar sobre as mudanças aceleradas em tecnologia (realidade virtual, aumentada, Iot) e desenvolvimento / uso espacial, porém, a contribuição do Mestre para a 4ª era digital é incerta. A princípio e dado que, como já foi referido, o Cadastro 3D tem uma implementação limitada em Espanha, pelo facto de incluir apenas objectos tridimensionais sem a definição legal que interopera com o seu ambiente, e um exemplo de tudo isto são as propriedades de tipo deck para o qual não existe uma solução combinada que os proteja. Da mesma forma, as infraestruturas, especialmente as subterrâneas, têm um impacto jurídico e físico nos bens públicos e privados, pelo que é muito importante ter em consideração nas aplicações de realidade aumentada. Portanto, a integração de processos de geometria jurídica com BIM e ambientes semelhantes é um espaço para explorar

Depois de conhecer a finalidade da “Geometria Legal”, Natalia falou-nos sobre a interoperabilidade e protecção dos dados, destacando que a geometria jurídica é a ferramenta para obter, processar, processar e validar dados físicos e jurídicos? O sistema que engloba esta informação e a sua divulgação é uma aplicação que assumimos ser da responsabilidade dos governos o desenvolver.

Este sistema que, atualmente em Espanha, está disperso entre as diferentes organizações, tais como o cadastro, os registos de propriedade, as entidades urbanísticas municipais e as administrações sectoriais (titulares do domínio público). Portanto, um dos aspectos fundamentais da O conteúdo do mestrado é proporcionar competências para conhecer detalhadamente a interoperabilidade deste sistema que não é apenas válido para a aplicação a curto prazo, mas também promovendo melhorias a médio e longo prazo.

Diríamos então que a Geometria Legal viria por ordenar uma quantidade de dados isolados, levantados de forma dispersa e sem finalidade específica. A ideia para a concretização do projeto vem de La Associação Espanhola de Geometristas Especialistas que suscitou um nicho de formação não contemplado na Escola Técnica Superior de Engenharia Geodésica, Cartográfica e Topográfica da Universidade Politécnica de Valência. Após avaliar a viabilidade, ele levantou a possibilidade de desenvolver sua própria graduação dentro de sua área acadêmica que explorasse essa necessidade de mercado.

Por se tratar de um mestrado para formar especialistas, os professores são especialistas nas disciplinas que ministram, quer sejam professores universitários (da Universidade Politécnica de Valência e da Universidade de Valência), ou de organismos oficiais (Instituto Geográfico Nacional , Registro de Imóveis, Cadastro ...), ou o mundo do trabalho. Neste sentido, para facilitar a conciliação com a atividade laboral dos alunos, as aulas serão transmitidas por streaming e serão gravadas para eventual visualização tardia.

Em relação a ajudas financeiras ou bolsas de estudo, o Dr. Garrido afirmou que "Actualmente não existem ajudas deste tipo, por se tratar de uma qualificação da Universidade Politécnica de Valência, não é elegível para ajuda oficial" O interessado pode inscrever-se No site do mestrado, encontram-se todas as informações sobre os custos das habilitações que podem ser solicitadas.

 

Mais sobre o Mestre

Para concluir, vamos considerar que o espaço está continuamente mudando drasticamente, para alguns isso acaba sendo um benefício e para outros é um grande problema. O fato de ter os recursos e ativos delimitados corretamente, permite que outros processos sejam executados adequadamente e, portanto, contribui favoravelmente para o desenvolvimento geoespacial.

Sempre falamos sobre o que é necessário para qualificar uma área como Smart City ou Smart City, vai além da integração de Tecnologias de Informação e Comunicação, sensores ou outros; realmente o primeiro passo é saber o que existe, onde está e qual a melhor maneira de aproveitá-lo.

Sendo claros sobre todos estes conceitos, tendo informação territorial atualizada-automatizada, e permitindo que seja acessível a todos os tipos de público, podemos começar a repensar o que queremos obter e como o fazer. E somado a isso, profissionais capacitados e com as melhores ferramentas são necessários para enfrentar todos os desafios envolvidos na abordagem desta 4ª era digital.Você pode conferir toda a conversa com a Dra. Natalia Garrido em  Twingeo Magazine 5ª Edição.

Golgi Álvarez

Escritor, pesquisador, especialista em Modelos de Gestão Territorial. Participou da conceituação e implementação de modelos como: Sistema Nacional de Administração de Propriedades SINAP em Honduras, Modelo de Gestão de Municípios Conjuntos em Honduras, Modelo Integrado de Gestão de Cadastro - Cadastro na Nicarágua, Sistema de Administração do Território SAT na Colômbia . Editor do blog de conhecimento Geofumadas desde 2007 e criador da Academia AulaGEO que inclui mais de 100 cursos sobre temas GIS - CAD - BIM - Digital Twins.

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentário são processados.

Voltar ao topo botão