Geoinformatics 1: Sensoriamento Remoto

Geometria remota e mais A geoinformática chega em sua primeira edição do 2010, com ênfase acentuada no sensoriamento remoto. Embora o ano seja jovem, parece que as próximas edições manterão esta linha, incluindo desta vez duas das grandes do sector não livre: ERDAS e ENVI.

Se as coisas forem como eu imagino, nas próximas edições eles farão revisões de ferramentas, no tema de sensores remotos, um assunto em que o setor livre avançou muito. Possivelmente considerar as livrarias de SEXANTE sob a abordagem de integração com ferramentas de uso gratuito (gvSIG, uDig, Grass, etc.)

Eu recomendo ler, aqui resumo algumas dicas:

Quando os sensores remotos e o SIG se encontram.

É uma entrevista interessante com Rolf Schaeppi, vice-presidente de operações européias da ITT. A entrevista é conduzida pelo próprio Eric Van Rees, que inicialmente pede uma breve revisão histórica da ENVI, mas conforme as questões avançam, tópicos como:

  • A integração do ENVI EX com ArcGIS, que facilita a interação entre as duas plataformas, podendo aproveitar as especialidades e sem perder as coisas ao longo do caminho, como estilos e símbolos.

Em seguida, fecha-se com o seu ponto de vista entre o SIG e a Teledeteção, tópicos que se fundem gradualmente, já que as imagens passaram a ter uma maior resolução.

Geometria remota e mais ERDAS, o que eles apontam para o 2010.

A entrevista com Mladen Stojic da Erdas Marketing baseia-se nas tendências que estão sendo consideradas no negócio que este produto conseguiu posicionar muito bem.

Entre os tópicos, menciona o critério 5D para o qual os sistemas estão apostando, incluindo: X, Y, Z, comumente aceito, adicionando o tempo e os dados associados. Então ele faz algo mais blá, blá com o ciclo de gerenciamento de dados em seu Terra digital.

A entrevista fica um pouco pesada, porque algumas das questões são muito amplas, mas vale a pena aproveitar o que eles estão considerando padrões e sua abordagem na nuvem.

Outros tópicos.

Jack Dangermond Dá continuidade à entrevista de um de seus alunos da edição anterior, fala sobre o Geodiseño e a necessidade de pensarmos no georeferencia cada vez que vamos fazer algo. Muito bom mesmo problema 2011 que têm entretido, como o conceito BIM está sendo considerado cada dia com a mais alta prioridade, e o gênio desta lâmpada promove-lo com esta ênfase é bom para todos.

Resta saber se eles se referem ao que a generalidade diz, ou a sua idéia de padrões com base em "faça isso como ESRI"Mas eu não lhes falo como isso funciona.

Há um artigo muito profundo sobre sistemas de mapeamento móvel, muito na moda ultimamente, alguns eventos também estão incluídos, como o Congresso Internacional de Topógrafos da FIG-2010, e o Leica HDS que acabou de acontecer. Publicidade: uma delícia, aqui está uma amostra.

Geometria remota e mais

Ver Post

One Reply to "Geoinformática 1: Sensoriamento Remoto"

  1. Já é hora, meu amigo, que você mencionará, se quiser, a palavra sensoriamento remoto ...

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentário são processados.