Brasil na mira da próxima conferência “Ano em infraestrutura”

Na 2004, a Bentley Systems iniciou o evento anual conhecido como Be Awards, que mais tarde foi renomeado Be Inspired. Além de um simples prêmio, nos últimos anos vimos que o Simpósio de Baltimore se tornou uma conferência de alto nível, não apenas no uso de tecnologias para modelagem, projeto e operação de infraestruturas; este ano, a 2013 participou de apresentações e fóruns de discussão sobre criatividade necessários para o gerenciamento e operação de projetos.

infra-estruturas

Estar lá até o final valeu a pena, quando, no final do evento, Greg, CEO da Bentley Systems, chegou à frente e disse isso em um tom que deu um toque final às minhas duas semanas de viagem e inspiração:

Criamos o Be Inspired para chamar a atenção daqueles que estão apoiando o mercado de infra-estrutura e dar-lhes o crédito por isso.

Londres tem sido um exemplo de prática, em que Engenharia aplicada aos Jogos Olímpicos foi demonstrado com projetos impressionantes; um exercício que sai de comum na venda de software. Como uma empresa em conjunto com empresas privadas e públicas desenvolve um plano de modernização para os anos 15, onde a inteligência da cidade é baseada no ciclo de vida das infraestruturas a partir de Princípio BIM.

É interessante como Bentley em vez de competir pelo mercado que possui ESRI, AutoDesk e Intergraph, decide se concentrar em um nicho específico do V8i; e isso significa para eles os três principais produtos: Modelagem de Informação (Aplicações em Microstação), Integração de Projetos (Projeto sábio) e Infraestruturas Inteligentes (Asset Wise). Assim, sua insistência em proprietários de pesquisas Top 500 Infrastructure onde entidades públicas e privadas ordenadas de acordo com o investimento em infra-estrutura que possuem são registradas. Brasil, Espanha e México se destacam neste ranking do contexto ibero-americano. Também é interessante mencionar a inclusão de outros atores no contexto, como a SIEMENS, com a qual a Bentley espera entrar no mercado de fabricação de maquinário e a Trimble, que é o melhor exemplo de benchmarking entre captura de informação, modelagem e operação ... entendemos a médio prazo como uma fusão inevitável (não apenas do ciclo BIM), mas certamente com muito mais inteligência do que a simples aquisição da Intergraph / Leica / ERDAS após a aquisição pela Hexagon.

Por que o Brasil?

Embora, alguém teria imaginado que o próximo evento seria na China, os números não são consistentes. O retorno sobre o investimento da América para a Bentley é muito melhor do que na Ásia (43% de empregados, 45% de empresas de serviços públicos) ao contrário de 26% / 19% da Ásia; Também é interessante que a Colômbia seja o país com o maior crescimento na adoção de sua tecnologia no 2013. Sabe-se que a América está sendo um centro de atração após sua resistência atípica às grandes depressões econômicas (enquanto em todo outono, a América Latina cresce). Independentemente se não pudermos cair ainda mais, estamos conscientes de que os recursos naturais e o potencial do nosso continente se tornarão cada vez mais atraentes para o investimento internacional. Somado a isso, há vários antecedentes do porquê o Brasil é o candidato para este evento nos próximos dois anos, não apenas como um poder emergindo dos BRICS:

flag Brasil1 O Top 500 Infrastructure Ownership indica que o Brasil está no 12 avo com base no valor, embora não figure em termos de quantidade, o que denota que o desenvolvimento e a operação das infraestruturas estão nas mãos de grandes empresas; ao contrário da Índia e da Espanha, para dar exemplos. Conhecemos a política de mercado da Bentley, que, em vez de procurar muitos pequenos clientes, concentra-se em empresas grandes e estratégicas que tiram valor de seus negócios. produtos em toda a sua largura.

2 No Brasil, a Copa do Mundo será realizada no próximo ano e, no 2016, os Jogos Olímpicos; eventos que envolvem a construção de grandes obras de infraestrutura, mas também um exercício de visibilidade mundial que o torna um pólo de investimento inevitável.

3 A aquisição da Char Pointer, empresa que criou o software TopoGRAPH, como um passo para aumentar o crescimento do mercado no Brasil em um 25% em uma só penada. Vimos a Bentley se posicionando no Brasil nas plataformas offshore, gerando e transmitindo energia; Com isso, vamos vê-lo entrando em um mercado que a Char Pointer já possui em termos de infraestrutura rodoviária, ferroviária e outras relacionadas ao desenvolvimento territorial.

Com isso, eu posso ousar dizer isso no 2015 -se não aquele 2014- Teremos o grande Year in Infrastructure Conference, o Be Inspired e o CIO Workshop em São Paulo.

De modo que:

Se tudo for como eu prevejo, estamos lá.

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentário são processados.